quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Programação Festival Quebramar 2012 - Dias e Horários

10 DE DEZEMBRO(Segunda-feira)
11 DE DEZEMBRO(Terça-feira)
12 DE DEZEMBRO(Quarta-feira)
8h às 12h - Centro Franco-Amapaense: Oficina de Teatro “Breves Cenas”, com Hudson Andrade (PA)
08:00H - 18h - Casa Fora do Eixo AP: Imersão Nós Ambiente
19:00h CDC Azevedo Picanço - #PosTv Cultura no Amapá em 2013
19:00h CDC Azevedo Picanço -  Lançamento Exposição Permanente "LER:VER:LER" (Grupo NUFOC)





08:00h – 16:00h Tour Ambiental Nós Ambiente
08:00h às 12:00h -  Centro Franco-Amapaense: Oficina de Teatro “Breves Cenas”, com Hudson Andrade (PA)
8:00h às 12:00h MIS: Ação Rede Norte de Cineclubes
14:00h às 17h30 MIS: Ação Rede Norte de Cineclubes

14:00h às 18:00h - UEAP "Oficina “O Gesto na narrativa Oral – Jiddu Saldanha


16:00h - Biblioteca Elcy Lacerda: Observatório: Gestão de Espaços Culturais e Organização de Feira de livros - Pedro Jr. da Fontoura (RS) e Leo Lobos (CHL)

19:00h Casa Fora do Eixo Amapá: Baile Hip Hop com Coletivo Insurgência
8:00h às 12:00h – UEAP: Oficina de vídeo-poema – Jiddu Saldanha
08:00h às 12:00h -  Centro Franco-amapaense: Oficina de Teatro “Breves Cenas”, com Hudson Andrade (PA)

08:30h -12:00h MIS: Ação Rede Norte de Cineclubes

14:00h às 17h30 - MIS: Ação Rede Norte de Cineclubes

14:00h às 18:00h - UEAP Oficina “O Gesto na narrativa Oral” – Jiddu Saldanha

14:00h – Museu Sacaca - Oficina #Ativismo2.0 – Antonio Netto

15:30h – Museu Sacaca - Oficina Diagnóstico Rápido Participativo – André Oliveira

16:00h -  Área externa da Biblioteca Elcy Lacerda - Tela Mural de Leo Lobos e Banda Ekinócio

18:00h – Fortaleza de São José de Macapá - #PosTv: Cenarios Possíveis - Teatro na Amazonia - PalcoFDE-AP
19:00h -  UEAP - Oiapoque e Chuí: Poesias Nativas

13 DE DEZEMBRO(Quinta-feira)
14 DE DEZEMBRO(Sexta-feira)
15 DE DEZEMBRO(Sábado)
08:00h Biblioteca Elcy Lacerda: Consumo Sustentável (André Oliveira)

8:00h às 12:00h - UEAP: Oficina de vídeo-poema – Jiddu Saldanha
9:30h - Biblioteca Elcy Lacerda: Áreas Protegidas no Amapá: Romantismo e realidade - Marco Chagas

10h30 - Biblioteca Elcy Lacerda: Formas de Ativismo Socioambiental (André Takahashi)

14:00h às 18:00h - UEAP: Oficina “O Gesto na narrativa Oral” – Jiddu Saldanha

14:00H – 18:00H- Casa Fora do Eixo Amapá: Imersão Nós Ambiente

14:00H - MIS-AP: Workshop Jornalismo Cultural 2.0 com Fábio Gomes (Blog Som do Norte)

16:00h – Biblioteca Elcy Lacerda: Conversa infinita “Poesía Brasileña Traducción y Divulgación En Chile e Hispanoamerica” - Leo Lobos (CHL)

19:00h – UEAP - Coro Comunitário da UEAP Cantata Natalina - Maestro: Williams Sol (AP)
Orientadora Vocal: Arnely Schulz (AP)

20h30 – UEAP: Atividade Cultural - Sukita (Kássia Modesto) e Bereko (Jubson Blada) (AP); O Sertão por Patativa - Cia Tucuju (AP)

08:00H – 18:00H- Casa Fora do Eixo Amapá: Imersão Nós Ambiente

14:00h - MIS - Museu da Imagem e do Som - Oficina de Elaboração de Projetos para Gravação de CD com Heluana Quintas (AP)


15:00h – CDC Azevedo Picanço- Oficina "Criação de conteúdo interativo para videoprojeções em Live Performances" com Luan Rodrigues
18:00h – CDC Azevedo Picanço- #PosTv: Fora do Eixo Letras

18:00h – CDC Azevedo Picanço - Vídeos-poemas da oficina; Poetas Azuis(AP);Leo Lobos (CHL);Jiddu Saldanha (RJ);Tatamirô Grupo de Poesia(AP)

20:00h – CDC Azevedo Picanço – Programação Musica Intrumental – Le Phenix

20:35h - CDC Azevedo Picanço – Programação Musica Intrumental – Tem Deck+ Lucia no Limbo feat Mafia Nortista (AP)

21:15h - CDC Azevedo Picanço – Programação Musica Intrumental – Finlândia (ARG/BRA)
16:00H – Parque do Forte: Espetáculo Circo roda Ciranda (AP)

17:30h - Parque do Forte: Concentração: Pedal #VádeBike. - Vá de Bike!

19:00h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá - #PosTv: #Musica Independente Circula Bem no Brasil?

20:10h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – O Sosia (AP)

20:45h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Mental Caos (AP)

21:20h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Godzilla (AP)


21:55h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Matinta Perera (AP)

22:30h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Stereovitrola (AP)

23:05h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Uh La La (PR)

23:40h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Profétika (AP)

23:40h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Korzus (SP)
16 DE DEZEMBRO(Domingo)

16:00h – CDC - #PosTv: Cinema no Brasil do Século XXI - Convidada: produtora do filme  indicado ao Oscar 2012 "O Palhaço"  Vânia Catani (RJ)

18h30 - Praça da Bandeira Concentração: Pedal #VádeBike!
19:30h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Genezis (AP)

20:10h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Samsara Maya (AP)

20:45h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Mini Box Lunar (AP)

21:20h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Juca Culatra e os Piranhas Pretas (PA)

21:55h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Calistoga (RN)

22:30h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Gang do Eletro (PA)

23:05h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – BNegão e os Seletores de Frequências (RJ)

23:55h – Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá– Programação Musical – Mallu (RJ)


terça-feira, 4 de dezembro de 2012

FESTIVAL QUEBRAMAR 2012

Nos dias 10 a 16 de Dezembro acontecerá em Macapá a 5ª Edição do Festival Quebramar, o evento que é inserido no calendário de atividades culturais do Governo do Estado do Amapá e que faz parte do Circuito Fora do Eixo Nacional, apresentando uma programação diversificada dentre shows, palestras, oficinas, desconferências, exposições, apresentações de poesia, cinema, meio ambiente, artes cênicas, dentre outras atividades, consagrando-o como um dos maiores festivais de artes integradas do Norte do país.

Programação:
10 de Dezembro (Segunda-Feira): CENTRO DE DIFUSÃO CULTURAL AZEVEDO PICANÇO 19h - Lançamento Exposição “Ler: Ver: Ler” (Núcleo de Fotografia Contemporânea).

11 de Dezembro (Terça-Feira): Casa Fora do Eixo Amapá 19h - Baile Hip Hop com Coletivo Insurgência.

12 de Dezembro (Quarta-Feira): Biblioteca Elcy Lacerda 16h - Tela Mural de Leo Lobos (CHL)
 SHOWS
18h - Banda Ekinócio (AP)

13 de Dezembro (Quinta-Feira): Ueap (Universidade Estadual do Amapá) 19h - Coro Comunitário da Ueap – Cantata Natalina com o maestro
* Williams Sol (AP)
* Sukita e Bereko (AP)

* Sertão Patativa – Cia Tucujú (AP)
14 de Dezembro (Sexta-Feira):  CDC Azevedo Picanço 18h - Vídeo-poemas
Poetas Azuis (AP)

Leo Lobos (CHL)

Jiddu Saldanha (RJ)

Tatamirô Grupo de Poesia (AP)

Le Phenix (AP)

Tem Deck? + Lúcia no Limbo feat. Máfia Nortista (AP)

Finlândia (ARG/BR)
 15 de Dezembro (Sábado):  Parque do Forte 16h - Espetáculo Circo Roda Ciranda (AP)
17h30 – Concentração Pedal #VádeBike
16 de Dezembro (Domingo) CDC Azevedo Picanço 16h - Exibição do filme indicado ao Oscar 2012 “O Palhaço” e bate-papo com a produtora do filme Vânia Catani
17h30 - Praça da Bandeira Concentração Pedal #VádeBike

SHOWS

15 DE DEZEMBRO (Sábado)

ANFITEATRO DA
FORTALEZA DE SÃO JOSÉ

Korzus (SP)

Profétika (AP)
Calistoga (RN)
stereovitrola (AP)
Matinta Perera (AP)
Mental Caos (AP)
O Sósia (AP)

16 DE DEZEMBRO (Domingo)

ANFITEATRO DA
FORTALEZA DE SÃO JOSÉ

Mallu (RJ)

BNegão & Seletores de Frequência (RJ)


Gang do Eletro (PA)

Uh La lá (PR)
Juca Culatra e os Piranhas Preta (PA)
Mini Box Lunar (AP)
Samsara Maya (AP)
Genezis (AP)
Godzilla (AP)

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Headbanger ou Metaleiro?




Hoje irei abordar um tema do qual sou bastante experiente, a utilização dos termos Metaller, Metalhead, Headbanger e Metaleiro. Em meados da década de 70 na Inglaterra, quando o Heavy Metal apresentava uma primeira safra de bandas, a BBC, Observer e outras entidades jornalísticas, passou a adotar o termo Metaller para os seguidores do movimento, depois de ter passado pela Fase-de-ataque da parte do movimento Punk puro (mais ou menos 1976 até 1979), a segunda safra de bandas, conhecida mais como NWOBHM, que traziam bandas ainda mais pesadas tomou conta da Inglaterra e alguns jornais passaram a usar também o termo Headbanger, pois os conservadores de Sua Majestade Elisabeth II, viam toda aquela garotada "Batendo a cabeça" como condenados infernais (The Times, 2nd April 1980). Lemmy Kilmister, inglês, mas residente Californiano e Roadie Crew de Jimi Hendrix durante o 1° Woodstock em 1969, fundou na segunda metade dos anos 70, entre EUA e Inglaterra, o Power Metal Motorhead fazendo pirar a cabeça dos bangers yankees, especialmente em San Francisco. E os Ingleses respondem logo depois com o Venom.
O Termo Headbanger ficou cada vez consolidado porque o Verdadeiro Heavy Metal Americano nascia naquele momento e era mais pesado do que nunca. No Brasil, no final dos anos 70 e início dos 80, nós daquela época, simplesmente traduzimos o termo Metaller inglês para Metaleiro porque era mais original e nós, por uma questão de patriotismo, não queríamos adotar metaller que soava estranho. As outras gerações de fãs heavy foram seduzidas por bandas cada vez mais pesadas e o termo usado naquele período, graças ao programa TV Headbanger's Ball da MTV Americana passou oficialmente para headbanger. A imprensa brasileira ainda tinha como visão o metaleiro e no Brasil era muito discriminado por ser considerado coisa de viciados em drogas (especialmente durante o Regime Militar). O tempo foi evoluindo, a indústria do Metal foi crescendo muito e, por uma questão social (ou talvez psicológica) os novos fãs começaram a rejeitar cada vez mais o termo metaleiro que era muito brega e muito brasileiro, principalmente graças à um festival promovido pela Rede Globo em 1985 onde o Língua-de-Trapo performou a cômica Os Metaleiros Também Amam ridicularizando e rotulando negativamente o Metal em geral. A imprensa brasileira e fanzines como a Rock Brigade não foram capazes de investigar e tirar fora do baú um pouco de historia e Cultura e hoje existe um Mal-Entendido entre ser um verdadeiro headbanger que escuta somente o verdadeiro Metal e em um certo modo comportamental e ser um metaleiro que é burro, ignorante e só suja a imagem. Provavelmente existe uma certa diferença entre os metaleiros de hoje e os metaleiros de ontem. Uma coisa é certa: os metaleiros de ontem amavam o Metal, viviam o Metal 24 horas por dia, 7 dias por semana e 366 dias por ano sem se preocupar em fazer distinções entre quem escutava o Heavy Metal e quem escutava o Rock Nacional de então. Pelo contrário: existia uma grande sinergia entre nós e um grande respeito. Mas era um outro tempo aquele.

domingo, 14 de outubro de 2012

Nota - Liberdade ao Rock

O Blog Tribos AP gostaria de deixar claro que em nenhum momento culpou o Movimento Liberdade ao Rock por quedas de energia ou algo similar, a intenção do Blog foi apenas expor um fato isolado que não tira o brilho da festa de aniversário do evento, que como já dito, foi a melhor edição já realizada.
Pelo contraria, esse que vos escreve admira muito o trabalho dessa equipe que faz acontecer o melhor evento mensal de rock do Estado e valoriza o duro que essas pessoas dão.

Diego Meireles
Pedro Santiago
Carol Pessoa
Artur Mendes
André Renato
Ana Lages
Lee Amil
Kallebe Amil
Luh Sandim
Josi Rizzari
King Diniz
E todos os outros que fazem acontecer!!!

Liberdade ao Rock – Dobradinha Heavy Metal: Keona e Mysterial

No ultimo sábado 13 de Outubro, rolou na praça da bandeira a segunda parte das comemorações do aniversário de quatro anos do Liberdade ao Rock; e claro que o Heavy Metal teve seus representantes nessa festa, as bandas Keona e Mysterial que foram as terceira e quarta bandas a se apresentar respectivamente.

Durante a semana as bandas convocaram massivamente os fieis headbangers a se apresentarem cedo na praça para prestigiar o evento, e o público correspondeu com sua presença. A praça da bandeira já recebia um bom público quando a banda Cover de Heavy Metal Keona subia ao palco para fazer sua estreia no Liberdade ao Rock, e consideravelmente levantar o público tocando Paranoid do Black Sabbath. A banda deu sequência a sua apresentação com dois sucessos antológicos do Angra, Angels Cry e Lisbon que apesar de uma primeira de muitas quedas de energia que atrapalhariam o show da banda, não quebrou o carisma dos integrantes e a animação do público. Infelizmente as quedas de energia se tornaram mais constantes, atrapalhando o início da ultima música da banda The Number fo the Beast do Iron Maiden, que teve que ser iniciada três vezes, só aumentando assim a expectativa e vibração dos presentes, que ao fim da apresentação gritou em coro “mais um, mais um”, mostrando uma pequena e falta de tato da organização do evento tanto com o público que ali pedia, quanto com a banda que merecia por conta dos problemas e por mais uma vez apresentar-se de forma tão carismática interagindo com os fãs.


Logo em seguida, a segunda representante do Heavy Metal, a banda de Heavy Metal Cristão Mysterial, que já havia feito um show histórico no Liberdade no Dia Mundial do Rock, mais uma vez mostrou que Metal é Metal, seja ele de qual cor for. A banda iniciou sua apresentação com a sua calma Intro, emendando com a música própria Glory fazendo o público bater cabeça com uma união perfeita entre um excelente instrumental e um belo vocal. Em seguida a banda deu um tapa na cara da hipocrisia com a sugestiva Hopocrisy também de própria autoria. A banda repetiu o feito do Dia Mundial do Rock, tocando uma pesada versão de Parabéns para você em homenagem ao Liberdade ao Rock, deixando o já grande público da noite bastante eufórico para ouvir a versão de Rock the Earth – Rob Rock, cantada pela banda. A Mysterial encerrou sua apresentação com a sua música Days of Pain, na qual em seu termino a vocalista Vanessa Rafaelly literalmente se jogou nos braços do público marcando mais uma apresentação histórico nos palcos do Liberdade.
Sem dúvidas foi a melhor edição já realizada do Liberdade ao Rock, a organização está de parabéns, as bandas que se apresentaram nos dois dias foram muito bem dentro de seus limites, umas com apresentações espetaculares, como as duas citadas nessa resenha, e outras nem tanto, mas sem perder o espírito imposto nesse 4 anos de Liberdade ao Rock.

Texto: Gabriel Dias da Silva
Fotos: Liberdade ao Rock

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Agenda Cultural - Halloween Underground 2012


Dia 3 de Novembro, o Halloween Underground volta a tocar o terror em Macapá!!!

Prepare a sua fantasia ou vista o black e venha curtir a segunda edição da super rockada temática com decoração Halloween, com discotecagens, Telão do Mal com os vídeos mais escabrosos, Premiação p/ Guitar Air, Concurso de Fantasias/Cosplays e Performances (Vale Tudo!!!)

Os Ingressos serão vendidos no horário do evento ao valor de R$12 aos vestidos de preto e R$10 aos fantasiados. Então prepare a sua fantasia q a gente que ve
r todo mundo tinindo por lá :P

Dia 03/11 / 19h
Local: Novo Bar do Abreu - Rua Jovino Dinoá (Próximo a Faculdade Seama)
Ingressos somente no evento: R$10 (Fantasiados) R$12 (Vestidos de Preto)

Bandas:
Suicídio
Anonymous Hate
Nova Ordem
Guerrilla Radio
Velvet Holy
Gravydade
Dama de Preto
Crackdown
Keona
& Bandas Surpresas


Realização: Underground Produções
Apoio: Liberdade ao Rock, Zombie Produções, Blog Eu Sou do Norte, Blog Olhar Alternativo e Amapanime.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

A MÍDIA BRASILEIRA, O ROCK E A ALIENAÇÃO (Part. 2)


Não é só pela mídia ser controladora e formadora de opinião ruim que roqueiros não gostam dela, é também porque distorce a ideia do que é o verdadeiro Heavy Metal e Rock N' Roll. A mídia é uma das grandes culpadas pelo Rock ter sido morto pela década de 2000, e tudo começou quando na década de 70 a Mídia ainda fazia uma propaganda positiva com o Rock, já que sempre elogiava os Beatles e outras bandas iguais a eles (ou não). Nisso, o Pop já conspirava contra o Rock, e resolveu influenciar a Mídia para adotar uma atitude contrária àqueles bárbaros de cabelo grande que tocavam música "pesada”.
A Mídia adotou uma atitude puramente preconceituosa, tratando o Heavy/Rock como uma poluição sonora feita por um bando de bárbaros.
Em meados de 99/2000, onde a MTV, a revista Rolling Stone e outros veículos (principalmente canais de TV aberta) começaram a considerar qualquer banda que tinha uma bateria e uma guitarra como banda de Rock, mesmo que fosse Reggae ou Música Clássica. Na verdade a Mídia sabe muito bem que bandas como  Restart não são realmente Rock, mas o público não sabe! O trabalho que a Mídia fez foi tão bem realizado que agora o público inteiro é idiota e controlado por ela.
A Mídia não se permite mostrar de maneira nenhuma um pouquinho que seja de Rock de verdade. E Se mostra, mostra de forma totalmente preconceituosa, sensacionalista e sem a menor profundidade. E quanto ao Rock de verdade? A Mídia só vai fazer uma cobertura para um show de uma banda mainstream que até os hereges conheçam, como Iron Maiden ou Metallica. Em uma vinda do AC/DC ao Brasil, a Rede Globo, a TV tão querida por ter inventado o termo "metaleiro" (ver matéria UM POUCO DA HISTÓRIA HEADBANGER), fez uma homenagem ao AC/DC no programa Caldeirão do Huck, onde o apresentador Luciano Huck e os campeões nacionais do game Rock Band fizeram uma performance com a música Back TO Black de AC/DC. Mas não seria "Back IN Black"? Muitos riram deste acontecimento, mas outros ficaram bem ofendidos por terem confundido o nome de uma música tão conhecida - além do que, "Back TO Black" é da Amy Winehouse!

Outra gafe da Rede Globo foi falada no portal G1, onde o site noticiou que Janick Gers e Nicko McBrain eram membros do Metallica, quando na verdade Janick é guitarrista e Nicko o baterista do Iron Maiden. Pois é, errar nomes de integrantes é normal para a Rede Globo! Pra provar isso, o Jornal Hoje exibiu uma matéria onde uma repórter fala com exclusividade com o Iron, quando este fez show aqui também. A repórter Mariana Gross diz enquanto narra sua trajetória ao camarim: "Aqui no camarim só entra, com adesivo... a gente entra, encontra a equipe... aqui o camarim do Lauren Harris...".Lauren Harris é a filha do Steve Harris! Dá pra perceber que Lauren é nome de mulher não?! Vai trocar o sexo do baixista de uma hora pra outra?!!

Mas não é só a Globo quem comete suas gafes. O Leitura Dinâmica, programa jornalístico da Rede TV já falou que o quarteto fantástico Beatles era composto por Paul McCartney, John Lennon, George Harrison e Gringo Starr.
Isso só mostra que a Mídia realmente está pouco se fudendo para o Rock de verdade. É claro que a mídia mais específica não comete estes erros tão bobos, mas é triste que ela não seja mainstream. Temos que conviver com a revista Veja falando que cultuamos uma barulheira, ou viver aguentando surtos hereges de meninas histéricas que leem Crepúsculo, vestem preto e acham que são góticas.
O preconceito é tão forte com o Heavy/Rock que todos acham que é um barulho musical feito pra xingar Deus e o mundo e promovendo shows com pancadaria e anti-humanismo, mas se alguém não percebeu, ritmos como o funk carioca, sertanejo ou axé influenciam muito mais as pessoas à futilidade, preconceito e ao uso de drogas ilícitas e licitas, além do apelo sexua.
Na terceira e ultima parte dessa matéria você vai ler um pouco mais sobre o “ROCK IN RIO” e as bandas brasileiras que fazem sucesso lá fora. Por que a mídia do exterior não tem preconceito com o rock? Aguardem.
Continua...

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

AGENDA CULTURAL - WORKSHOP RICHARD POWELL

ONDE?
CENTRO DE CONVENÇÕES AZEVEDO PICANÇO

QUANDO?
DIA 19 DE OUTUBRO DE 2012

QUANTO?
TOTALMENTE GRÁTIS E COM SORTEIO DE BRINDES.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

A MÍDIA BRASILEIRA, O ROCK E A ALIENAÇÃO (Part. 1)


"Mídia siginifica todos os meios de comunicação, os veículos que são utilizados para divulgação de conteúdos de publicidade e de propaganda"
A mídia é uma das mais eficientes formas de alienar e manipular uma pessoa. É por causa da mídia que exitem pessoas fúteis, metidas, egocêntricas, burras e manipuladas. Alguns veículos que a mídia utiliza para destruir o cérebro humano são: televisão, rádio, internet, "mídia impressa" de jornais e revistas, e qualquer outra forma de comunicação. O impacto que a mídia causa numa pessoa é gigantesco, pois faz ela ser controlada e dependente do Sistema de uma forma que fica quase impossível de sair dele.
A mídia ensina valores errados, mundanos e superficiais, pois não quer cidadãos inteligentes e com opinião própria, e sim que nós consumemos tudo o que ela tem a oferecer. Você é apenas um fantoche que engole todo o lixo que ela produz. Assim ela ensina valores como o consumismo, moda, tendências, apenas para formar a sua personalidade, fazendo você ser um robozinho.
O Rock é o único gênero que critica de um modo abrangente a corrupção, violência, problemas sociais de nosso país, onde atinge em cheio a base de nossa sociedade, A JUVENTUDE. O Rock é uma arma tão poderosa na luta contra a corrupção que eles estão fazendo de tudo para dar ênfase ao Pop, Funk, Sertanejo, Axé, Happy Rock, onde nada é criticado somente coisas fúteis e inúteis. No século XX o rock tinha muito mais letras falando sobre coisas relacionadas a guerra, violência, países, sociedade.
Muitos já perceberam que roqueiros são orgulhosos justamente pelo tipo de música que evita a "lavagem cerebral", a mídia morre de medo da revolução, por que isso tira o controle deles sobre o povo, e faz com que o povo tenha controle sobre a mídia.

Nas próximas matérias você ficará sabendo um pouco mais sobre essa eterna briga entre o Rock e a Mídia.

Continua...

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Hoje os fãs da banda Oficina G3 amanheceram com uma triste notícia no blog do Evento AVIVA AMAPÁ:
O evento AVIVA AMAPÁ foi transferido para a data de 15 de Dezembro devido a problemas relacionados com passagens aéreas para os participantes. Haveria um Pré - Aviva com o OFICINA G3 no dia 29 de setembro no SESI, porém, foi cancelado e será tudo dia 15/12/2012 - Todas as pessoas que compraram entradas serão contactadas para maiores esclarecimentos.
Qualquer dúvida entre em contato com 9199-6171 - Coordenação do AVIVA AMAPÁ.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

AGENDA CULTURAL - VILA DO ROCK

Vamos a mais uma edição com ótimas bandas e uma Discotecagem surpreendente!
Noite com uma boa musica e a presença dos amigos, assim se faz o vila do Rock.

* Novos e Usados (Autoral)

* Silver Boys Rock Band ( Rock anos 60 e 70 os Clássicos e Couver The Beatles)

* Vennecy (Hard Rock )


Discotecagem : Enzo Oliveira

Valor do Ingresso R$ 15,00 (Valor único)


segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Oficina G3 de Volta à Macapá


No dia 29 de Setembro a banda de Rock Cristão Oficina G3 se apresenta no Sambodromo no festival Gospel Aviva Amapa no Meio do Mundo. A banda volta ao Estado dois anos depois do lamentável caso de preconceito religioso que acarretou no cancelamento de um show (http://jessyalternativa.blogspot.com.br/2010/04/lamentavel-oficina-g3-e-vitima-de.html), frustrando os fãs da banda que apenas agora poderão desfrutar do show DDG da banda.

Aviva Amapa
Local:Sambodromo
Horário: 00:00
Infos:
(96) 32512433/91996171/88043275/81116340 claudiane_ap@hotmail.com/claudiane.ap@gmail.com

SOBRE O OFICINA G3
A utilização dos mesmos ritmos e linhas melódicas num estilo romântico já foram características da música evangélica no Brasil que hoje é lembrada como forma tradicional dentro das igrejas. A tendência mudou e hoje instrumentistas, cantores e todo o segmento do áudio e fonográfico se profissionalizaram tornando-se um mercado bem exigente.
Um dos representantes desta visível mudança no segmento gospel da música foi a banda Oficina G3.
Além de cabelos coloridos, tatuagens, brincos e guitarras distorcidas, eles foram muito além: levaram sua música para fora das fronteiras mercadológicas, ideológicas e territoriais. Suas letras abordam não apenas temas religiosos, mas também aspectos sociais como combate às drogas, corrupção, injustiças, devastação do meio ambiente, dentre outros, buscando levar uma mensagem que faça diferença na vida das pessoas e no mundo.
Com sete discos de ouro, turnês pelo continente americano, Europa, América Latina, Japão e uma agenda lotada durante o ano todo, o OFICINA G3 tornou-se a banda cristã mais conhecida do Brasil, levando multidões às suas apresentações. E boa parte deste público é formado por pessoas que não se interessariam normalmente por esse segmento musical, quebrando, mais uma vez, o preconceito.
Mas o reconhecimento do trabalho não é fruto do acaso. Na estrada há mais de 20 anos, seus músicos contam com o apoio de grandes empresas do mercado. Juninho Afram, guitarrista, é patrocinado pelas guitarras TAGIMA e cordas Dean Markley, tendo não apenas um, mas dois modelos signature – uma guitarra produzida totalmente de acordo com as especificações e preferências do próprio músico, vendida com a sua assinatura. Foi o primeiro músico cristão a ter esse tipo de instrumento lançado no Brasil. Respeitado como um dos quatro melhores guitarristas do país, Juninho é compositor, arranjador e já escreveu para as principais revistas de guitarra do Brasil. Nascido em família de músicos, Duca Tambasco é baixista e arranjador, também endorser da Tagima, sendo inclusive o primeiro músico a ter um baixo criado especialmente com a sua assinatura, dentro da “signature series” da empresa. Patrocinado pela Kurzweil, símbolo de excelência em instrumentos musicais, responsável por grandes inovações em teclados e tendo um time de endorsers dos mais respeitados do mundo, com Stevie Wonder, Jon Carin (Pink Floyd e outros), Jordan Rudess (Dream Theater), Alan Howarth (um dos maiores compositores de Hollywood) e Steve Walsh (Kansas), Jean Carllos tem feito escola nos teclados do G3 com seu estilo singular e diferenciado de tocar.
De origem paulista, a banda, formada em 1987, tem alguns números impressionantes:
· Já se apresentaram em todas as principais casas de show do país, incluindo dezenas de cidades do interior, onde poucas bandas vão.
· Foram o único grupo cristão a tocar no Rock in Rio 3.
· Fizeram shows em estádios como Pacaembu, Canindé e Maracanã para públicos de até 200 mil pessoas.
· Tiveram matérias publicadas em revistas de expressão nacional (Veja, Isto É, Época, Backstage, Guitar Player,Cover Guitarra, Roadie Crew), jornais (Folha de São Paulo, Estadão, O Globo, Jornal do Brasil, Notícia Agora, Estado de Minas, Correio Braziliense e todos os maiores do país, sites (Whiplash!, Terra, UOL, IG) e programas de TV como (Vídeo Show, SPTV, RJTV, Metrópolis, A Noite é Nossa da TV Band, Central MTV, entre outros).
· Clips da banda sempre foram veiculados com destaque em canais como Multishow, MTV e
programas especializados.
· Já tocaram por diversas vezes nos Estados Unidos e também Europa (Itália, Suiça) e AméricaLatina (Argentina, Uruguai).
· A maior comunidade do “Oficina G3″ no site de relacionamentos “Orkut” possui mais de 260 mil membros, uma das maiores comunidades de bandas nacionais ou estrangeiras no Orkut.
O grupo ficou também entre as 50 bandas mais acessadas no MySpace em 2009, 10 e 11 e possui mais de 190 mil seguidores no twitter.
· Com dez trabalhos lançados, todos os últimos 7 lançamentos ganharam disco de ouro, superando 1 milhão de cópias vendidas no total. Um grande feito em época de pirataria e mp3.
· O CD “Depois da Guerra” venceu o Grammy Latino 2009, levou o grupo pela primeira vez ao Japão e faturou o Troféu Talento 2009 nas categorias “Melhor Banda” e “Melhor Álbum Rock”.
· O disco também deu origem ao DVD e Blu-Ray “DDG Experience”, gravado com câmeras de 35 mm digital em alta definição em Santa Bárbara D’Oeste/SP, lançado em 2010, sendo um dos primeiros do país a usar essa tecnologia.

sábado, 15 de setembro de 2012

Monster of Rock Amapá: Keona Spirit, Amatherasu e Serimonial Sombrio


Quando: Dia 6 de Outubro
Local: Teatro das Bacabeiras (2º piso MIS)
Horario: A parti das 19:00 horas

Local: Teatro das Bacabeiras (2º piso MIS)

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Rock e Indústria Cultural


No início do século XX, Theodor W. Adorno – um dos mais proeminentes pensadores da Escola de Frankfurt – dedicou alguns dos seus textos para refletir sobre um fenômeno da chamada indústria cultural. Esse conceito, segundo o pensador, consistia em estabelecer quais as implicações do processo de mercantilização das práticas culturais. Segundo ele, desde o século XIX, a cultura passou a ser aviltada pelo interesse do sistema capitalista.

Para exemplificar seu raciocínio, Adorno buscou, principalmente na música, um exemplo dos problemas que implicariam na comercialização da cultura. Em seu famoso texto “O fetichismo na música e a regressão da audição”, o autor vai demonstrando quais seriam os problemas que a reprodução da música por meio do disco e do rádio trariam à cultura. Além disso, fazendo uma análise musical, tomando o jazz como principal referência, o autor vai demonstrando como determinados padrões de repetição estética empobreceriam o gosto musical das pessoas.

Em certa medida, as críticas deste pensador alemão em muito definem a situação da cultura e, por vezes, parece falar da situação contemporânea. Sem dúvida, nos dias de hoje, muitas pessoas moldam seu gosto musical por meio de padrões estéticos e simbólicos oferecidos pelos meios de comunicação. Ao mesmo tempo, as gravadoras cada vez mais se preocupam em vender do que privilegiar o processo criativo livre dos artistas.

As ideias de Adorno, elaboradas em 1938, estabeleceram uma visão apocalíptica sobre o futuro da música cooptada pela indústria cultural. No entanto, o surgimento de um novo estilo musical nos Estados Unidos viria a contrapor-se às teorias elaboradas pelo pensador alemão. O rock’n roll foi um estilo que surgiu entre a população jovem estabelecendo uma leitura das contribuições de três gêneros populares anteriores: o country, o blues e o jazz.

Utilizando as mesmas formas “limitadas” do fazer musical instituído no início do século XX, o rock utilizava de ritmos fortemente sincopados para falar sobre novas concepções de vida, amor e mundo. Mesmo em seus primórdios, onde as letras falavam do prazer de se dançar o rock ou situações românticas, podemos reconhecer visões de mundo que demonstravam as mudanças de valor que marcaram essa época. Nesse sentido, podemos ver no rock uma manifestação cultural capaz de pensar e refletir sobre o contexto de uma época.

Mesmo entre os roqueiros de grande projeção comercial, podemos notar a presença de canções onde a ingerência de uma indústria cultural parece ser falha. Já em 1956, a canção “Long Tall Sally”, de Little Richard, falava sobre as aventuras sexuais de um homem que buscava nas relações extraconjugais uma fuga das obrigações do trabalho e do matrimônio.

Até mesmo nas mais românticas canções de Elvis Presley, visto por muitos como um roqueiro demasiadamente comportado, vemos uma interessante contradição. A imagem máscula e atrativa do “rei do rock” fazia um interessante contraste com letras onde ele se mostra completamente subordinado à figura feminina. Em canções como “Hard Headed Woman”, “Teddy Bear” e “Devil in Disguise” temos claros exemplos da situação apresentada.

Por fim, poderíamos dizer que o rock morreu com a indústria cultural? Definitivamente, não. Basta lembrar que no início dos anos de 1980, o AC/DC, uma das mais cultuadas bandas do rock, detém a marca do segundo disco mais vendido da história. Caso esse argumento não seja bastante, podemos vislumbrar como uma banda fabricada como “The Monkeys” saiu para o trabalho independente e conseguiu boas vendagens combinadas com letras críticas como “Pleasant Valley Sunday”.

Sem seguir regras ou as exigências dos próprios fãs, esse gênero musical busca transgredir padrões e não cultuar o passado ou os primórdios de um tempo áureo. Por isso, o rock é uma forma de se conceber e não cristalizar a arte com criatividade e inovação. Clássico, pesado, pop, hard ou punk, o rock ainda presa por uma liberdade criativa que, talvez, nem mesmo Adorno pudesse ter imaginado.

ADAPTADO DE BRASIL ESCOLA

terça-feira, 10 de julho de 2012

Dia Mundial do Rock
Realização: Sonora Produções, Imperial Music, Liberdade ao Rock.
Patrocínio: Governo do Estado do Amapá

Apoio de Comunicação do Blog Tribos AP.

Dia 13 de julho (sexta )NA PRAÇA DA BANDEIRA com as bandas:

L.B.R,
DESIDERARE,
CAPITAL MORENA,
DKOFF,
INVASORES DO FORTE,
BLACKOUT,
EXILLIUS,
SUBORDINADOS,
OS ARRANJADOS,
HELOIN,
GRAVIDADE ZERO,
THE END,
DIYNG BREED,
ARMA DE FOGO,
MYSTERIAL,
THE HIDES,
NOVA ORDEM,
BEATLE GEORGE,
URUBU MORTALHA,
DAMA DE PRETO.
VSEIS ( GUYANA)

Dia 15 de Julho (DOMINGO)NO PARQUE DO FORTE com as bandas:

RADIO VOXX
PSICHO CANDY
METAL ALIANCE
AMATHERASU
VELHO JOHNNY
CERIMONIAL SOMBRIO
VILA VINTÉM
MANO BLUES
MATINTA PERERA
SAMSARAMAYA
EXTRAVAGANZA
MENTAL CAOS
CARNYFECTOR
HIDRAH
VENNECY
DR SIN ( SÃO PAULO)

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Dr. Sin em Macapá comemorando o dia do Rock

Por: Jéssica Alves - Via http://jessyalternativa.blogspot.com.br


Informações divulgadas ontem, durante o workshop do Marcelo Barbosa (guitarrista do Almah/ Khallice e Brasília Zero10), pela Sonora Produções (Alan Flexa, Luiz Rodrigues e Bio Vilhena) confirmaram. A banda DR. SIN estará em Macapá no dia 15 de julho, comemorando o dia Mundial do Rock!


O evento será realizado em duas partes. A primeira no dia 13 de julho, na Praça da Bandeira, com atrações locais e uma banda de thrash metal a confirmar. E no dia 15, o evento será na área da Fortaleza de São José, com a presença de 10 bandas locais e a headliner paulista.


DR.SIN


Formada em 1991 por Eduardo Ardanuy e pelos irmãos Andria e Ivan Busic, o Dr. Sin é uma conceituada banda brasileira de rock and roll que por muitas vezes foram aclamados como os melhores músicos e melhor banda pela mídia especializada. Estreando na grande mídia durante o Hollywood Rock, em 1993, esse foi o pontapé inicial para mostrar ao mundo o seu rock and roll.


Durante aquelas noites, DR.SIN realizou concertos inacreditáveis. Em 1993, arriscaram-se a ir para os EUA. E, após alguns concertos por lá, assinaram com a Warner International e o álbum (DR SIN) foi lançado em nove países. Seu segundo álbum (BRUTAL) foi lançado no Japão sob o nome de (SILENT SCREAM), seguido pelo álbum (INSINITY) e o álbum ao vivo (LIVE IN BRAZIL). O álbum (LIVE IN BRAZIL) fez parte de um /box-set/ de Yngwie Malmsteen.


Atualmente o ultimo lançamento da banda é o álbum (ANIMAL) que apresenta muitas novidades e um som que definitivamente faz jus ao título. Essa é fórmula inigualável do DR SIN, que é, sem dúvida, um grande orgulho para os brasileiros e que está pronto para conquistar o mundo! (informações do release oficial da banda).


REALIZAÇÃO Sonora Produções,Imperial music,Liberdade Ao Rock e demais parceiros.
APOIO: Governo do Amapá
Dia 13 de julho(sexta)NA PRAÇA DA BANDEIRA,COM 20 bANDAS LOCAIS E + UMA BANDA DE TRASH METAL DA GUYANA..
DIA 15 DE JULHO(DOMINGO)NO PARQUE DO FORTE 10 BANDAS LOCAIS E ENCERRAMENTO DR. SIN!....


Agora é só esperar chegar a data a curtir muito o som bacana do Dr. Sin \m/. O blog Olhar Alternativo e Tribos AP estarão presentes, fazendo cobertura

sábado, 16 de junho de 2012

Andrey Góes - Novo integrante da Seed Falls


No último dia 15 (Sexta), o líder da banda Seed Falls, Alan Flexa, comunicou em nota oficial no grupo da banda do Facebook, a entrada do guitarrista Andrey Góes para dividir as guitarras da com ele. Andrey que já faz parte da grande banda de metal mapaense Hidrah.
Esse é mais um passo para esse retorno tão esperado da Seed Falls, agora nos resta aguardar o lançameto do novo álbum e continuar curtindo o sucesso do relançamento do álbum 'Time".

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Promoção Tribos AP e Imperial Music - Workshop Marcelo Barbosa




Curta a página da Tribos AP no Facebook (http://www.facebook.com/pages/Tribos-AP/196873947073709), compartilhe esse Banner o máximo de vezes e concorra a 2 ingressos para o Workshop com Marcelo Barbosa. (Sorteio dia 26/06)
PARCERIA IMPERIAL MUSIC E TRIBOS AP.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

As Divas do Rock/Metal Amapaense

Elas mostram que são mais que um rosto bonito e provam que as mulheres dominam o cenário Headbanger e Underground Amapaense.


Hanna Paulino, mãe da Lohanna vocalista da banda de Heavy Metal Melódico amapaense HIDRAH já se tornou a grande diva do Metal Amapaense. Foi protagonista de um dos momentos mais memoráveis para o Heavy Metal Amapaense realizando um dueto com o vocalista Edu Falaschi ex Angra e atual Almah.


Carol Pessoa, jornalista formada, vocalista da banda de Rock Dama de Preto.



Vanessa Rafaelly, vocalista de bandas como Seed Falls e Templarios, atualmente faz parte da banda de Heavy Metal Cristão Mysterial.


Beliza Alfaia, divide o vocal da banda de Heavy Metal Gravidade com Orielson Pantoja.




quarta-feira, 6 de junho de 2012

Resenha do álbum Time – Seed Falls


  Arte: Alan Flexa

A banda Amapaense de Metal Seed Falls surgiu em 2009, formada originalmente por Vanessa Rafaelly (vocal), Alan Flexa (guitarra), Adriano Joacir (baixo) e Ronald Vomitory (bateria). Após um tempo parada a banda ressurge em 2012 com uma nova roupagem, novos membros e novo estilo, mas enquanto Alan Flexa (Guitarra), Alan Barcelar (Vocal e Baixo) e Paulo Carvalho (Bateria) trabalham na gravação do novo CD da banda previsto para ser lançado ainda esse ano, o guitarrista e produtor musical Alan Flexa Pereira, único membro permanente da formação original decide relançar um sucesso da banda, a Demo “Time” com uma roupagem atualizada, mas sem perder o brilho da antiga formação.
A Demo lançada pela primeira vez em Setembro de 2010 conta com 5 faixas, a música de trabalho ‘Reason to live and die’, as músicas “Kamu”, “Control of my Emotions” “Overture 1989” e “Veagence”, teve sua mudança mais significativa  na arte da capa que tem a assinatura do produtor e guitarrista da banda Alan Flexa e contém desenhos incas que relacionam o homem com o passado, o presente e o futuro de uma forma mais cosmopolita, sendo bastante coerente com o título do álbum.
“Time” gira acerca de temas, como poesias, temas interplanetários, épicos e urbanos. Deve-se se destacar também a combinação nos vocais de Vanessa Rafaelly, alterando entre o canto lírico e o gutural, daí entendendo-se a combinação de diferentes vertentes do heavy metal, que vão desde o heavy metal tradicional, passando pelo melódico até o doom, death e o thrash metal.
O relançamento da Demo está previsto para ocorrer no dia 09 de Junho durante o Cerimonial Fest 2012, evento que marcará a volta não oficial da banda aos palcos.
O álbum pode ser considerado uma ótima obra, com bastante valor musical, altamente recomendado para quem curte do death ao heavy metal tradicional.


Contato: alanflexa80@bol.com.br
              www.myspace.com/seedfalls
              www.facebook.com/SeedFalls