segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Festival Imagem-Movimento (FIM) divulga programação de 10 anos


Há 10 anos acontecia em Macapá a primeira edição do Festival Imagem-Movimento (FIM). Estávamos no ano de 2004 e um grupo de agentes culturais universitários e recém-formados iniciava um evento que, desde então, vem se constituindo em um dos responsáveis pelo aprimoramento da produção audiovisual no Amapá.

Ao longo dessa última década, o festival percorreu mais da metade dos municípios do Amapá levando mostras de filmes e cursos de realização audiovisual básica, criou e fomentou cineclubes por onde passou, promoveu, junto com seus parceiros, eventos que debateram profundamente a sétima na Amazônia e se preocupou estrategicamente com a formação de novos agentes culturais ligados ao audiovisual no Estado.

Dessa trajetória muitos bons frutos foram colhidos, entre eles está a certeza de que aprendemos muito nessa caminhada, que temos muito a avançar e que essa primeira década de trabalho nos mostra resultados concretos através de uma produção audiovisual maior em quantidade e em qualidade. Isso se materializa nos mais de 80 filmes de vários estados que chegam ao longo do ano para que possamos exibir, nas atividades cineclubistas, nas oficinas realizadas nos municípios e nas mostras que ajudamos a realizar em várias escolas da rede pública de ensino.


De 2 a 8 de Dezembro

Dia 2 - Abertura - Na Praça Veiga Cabral - às 19h;
Dia 3 - Mostra Quintêssencia e Mostra Miscelânea - No CDC Azevedo Picanço - às 19h;
Dia 3 - Mostra Itinerante I - Na Praça da Caixa D'água (Buritizal) - às 19h;
Dia 4 - Mostra Memorabilia - No CDC Azevedo Picanço - às 19h;
Dia 5 - Mostra Apocalipse - No CDC Azevedo Picanço - às 19h;
Dia 5 - Mostra Itinerante II - Na Praça do Curiaú (Zona Norte) - às 19h;
Dia 6 - Mostra Fôlego! - Na Muralha da Fortaleza de São José - às 19h;
Dia 7 - Mostra Muralha - Na Muralha da Fortaleza de São José - às 19h;
Dia 8 - Mostra Mousikê/ Festa Decálogo - No Espaço Caos - A partir das 17h - Entrada 3 reais.

Fernanda Brasil fala sobre Anhangá, o novo EP da banda MorrigaM


Vikings, celtas, deuses nórdicos e folclore brasileiro, temperos do primeiro EP da banda MorrigaM


Foto: Henrique Silveira

Com um vocal no mínimo diferente, e com temáticas pagãs relacionadas à vikings, celtas, deuses nórdicos e, principalmente, ao folclore brasileiro, essa é a MorrigaM, que tem Fernanda Brasil no vocal, Kallebe Amil (Guitarra), Luan Ferreira (Guitarra), Artur Mendes (Contra-baixo) e Mateus Mendes (Bateria).

Com menos de um ano de estrada, a banda vem conquistando o público com a sua música, e tocando em alguns eventos importantes na cena, como nesse mês que tocará no Festival Quebramar.

No dia 23 irá lançar seu primeiro EP, Anhangá. Eu, Bianca Oliveira do Blog Tribos AP conversei com a Fernanda Brasil, a Valquíria amapaense, que contou um pouco mais sobre esse lançamento. Confira:

Foto: Henrique Silveira

Bianca: Bom, esse EP está sendo bem aguardado. Vocês vão lança-lo em que dia? E por onde?

Fernanda: O lançamento virtual vai ser dia 23, vamos jogar o single na net pra galera escutar. A venda dos CDs vão ser feitas em eventos e até mesmo por encomendas.

Bianca: Qual o nome do EP? E quais serão as músicas que estarão nele?

Fernanda: O nome do EP é Anhangá, e as músicas serão: Massacre, Corpo Seco, Kurupir e Anhangá.

Bianca: O que significa Anhangá?

Fernanda: Anhangá é o nome que os índios tupis da América do Sul davam aos espíritos que vagavam pela terra após a morte, atormentando os viventes. Podia assumir qualquer forma. Era considerado um Demônio.

Foto: Bia Oliveira

 Bianca: Qual a expectativa de vocês para esse lançamento?

Fernanda: A expectativa está sendo boa, estamos bem ansiosos pra ver o resultado, a gente se esforçou muito pra que o EP ficasse lindo tanto a capa como as músicas.

Bianca: Por que a banda tem tanto interesse na cultura indígena?

Fernanda: Porque gostamos da cultura indígena. Tem muito haver com a gente e com o que escrevemos. Queremos mostrar pro mundo um pouco do folclore brasileiro em forma de música.

Bianca: A banda tem pouco tempo, e por que você acha que nesse tempo vocês já conseguiram ganhar um público grande, tocar em vários lugares, e já serem bem conhecidos na cena?

Fernanda: Pela diferença, não é todo dia que tu vê uma “mina” do cabelo de fogo cantando Folk e Death Metal igual homem (risos).

Foto: Bia Oliveira

 Bianca: E dentro da banda, qual o maior sonho de vocês?

Fernanda: Conseguir mais espaço, queremos tocar fora e tal, já estamos realizando um sonho que é tocar em um grande festival que é o Quebramar, dia 29, e o lançamento do EP é mais um sonho realizado, quando tu entras no mundo da música o teu maior sonho é ver todo mundo curtindo teu trabalho. Ou seja, somos cheios de sonhos (risos).

Bianca: E depois do lançamento do EP, vocês já tem outro trabalho em mente ou no momento querem focar só no EP?

Fernanda: Já sim, mas isso é surpresa!

Bianca: Para terminamos a entrevista, o que você acha que o público vai mais gostar no EP?

Fernanda: Da mistura musical, um pouco de baião com Death Metal, a até alguns refrões em Tupi, acho que isso vai chamar bastante a atenção da galera que curte Metal \,,/

Divulgação do novo EP

É isso aí galerinha, fiquem ligados que dia 23 irá ser lançando o EP. Vamos aguardar, e depois é só apreciar o trabalho da MorrigaM. 





terça-feira, 12 de novembro de 2013

Tiago Della Vega, o guitarrista mais rápido do mundo no Festival Quebramar 2013


A JV produções e Casa Fora do Eixo em parceria com Orange e Carvin trazem à Macapá dia 26 de novembro na abertura do FESTIVAL QUEBRAMAR 2013 Tiago Della Vega. O guitarrista mais veloz do mundo. Considerado um super humano. Não perca essa oportunidade. 


Festival Quebramar 2013


O Festival Quebramar selecionou alguns dos nomes mais respeitados da música brasileira e revela suas atrações principais. Subirão ao palco, nesta edição: Arnaldo Antunes, Krisiun, Emicida, Curumin, Leptospirose, Madame Saatan, AÇÃO DIRETA, Jaloo, Bruno B.O, Camarones Orquestra Guitarrística, Banda Strobo e Molho Negro.

O Quebramar é apresentado pelo Governo do Estado do Amapá e Petrobras, após ser contemplado pelo Programa Petrobras Cultural e recebe o apoio da Prefeitura Municipal de Macapá. O evento acontece de 26 de novembro a 1º de dezembro no Anfiteatro da Fortaleza de São José e Centro de Convenções Azevedo Picanço.

Além das atrações nacionais, a programação do Quebramar conta também com a participação de 16 bandas locais, em quatro dias consecutivos dedicados a música, reunindo os mais diversificados estilos musicais.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

AMAPANIME FREAKSHOW NIGHTMARE CIRCUS


Oi pessoinha, como vai você? Eu preciso saber da sua vida, peço alguém p\ me contar sobre os seus dias... (eu sei que você cantou na melodia hahaha). Quanto tempo não venho aqui, mas estou  de volta, isso que interessa.  E hoje vou falar sobre a edição do Amapanime que teve nesse ultimo domingo, 03 de novembro, o AMAPANIME FREAKSHOW NIGHTMARE CIRCUS.

Segundo o Rodolfo Campana, o evento foi: “Quente, escuro, inovador em alguns quesitos, de certa forma interessante, bem variado no que diz respeito aos frequentadores e ao mesmo tempo seguiu a tradição de ter aqueles clássicos estandes (Games, K-Pop, Animes, Mangás, Miniaturas, Camisas, Bugigangas). Um bom evento pra se levar os amigos e conhecer gente variada”


Um Amapanime voltado ao gênero de horror, uma celebração ao medo, para combinar um pouco com o mês que se passou, que é do Halloween. Aconteceu no Lions Club, e segundo algumas fontes seguras, compareceram em torno de 900 pessoas, e por volta das 17 teve a Caminhada Zumbi, que partiu da Praça da Bandeira até o local que estava sendo realizado o evento. Dessa vez não estava tão quente, até a hora que as bandas começaram a tocar, e  como sempre animaram aquela galerinha que estava lá doida para “bater cabeça”. A primeira foi a Blackout, o vocalista (Denni Vilhena) irá sair da banda por alguns problemas pessoais, e essa foi a ultima apresentação deles, e acredito que essa tenho sido umas das melhores, se não a melhor apresentação que já vi da banda. Logo em seguida para continuar o clima pegando fogo, veio MorrigaM, que já tem seu publico que canta, pula e faz uma roda punk sinistra ao seu som, com Matinta Perera e Exillius não foi diferente sempre animam a galera (eu sei que você já pirou ao som deles é como avião sem asa, fogueira sem brasa, Vasco sem ser vice haha) e para fechar Profetika, com os seus refrãos que grudam na mente, de longe você ouvia a galera cantando “ Ela dormiu, no calor dos meus braços, e eu acordei sem saber se era um sonho...” Não pera, evento errado, pegadinha do malandro “ie ié”.



A galera do K-Pop como sempre bastante animada, confesso que tentei arriscar algumas coreografias, mas não consegui muito difícil aquele negocio lá, tá me doendo até agora os ossos com uns passinhos que tentei fazer. Tenho certeza que elas já devem estar ensaiando para o próximo Amapanime que vai ter esse ano, vou até ensaiar para tentar dançar no próximo. Tentem não roer todas suas unhas, vamos aguardar, pois o próximo promete se em um dia já é legal imagine dois?




Obs: Sei que você deve estar pensando: “Olha como ela está engraçada nessa  resenha, parece que arranjou um namorado”. Não, não foi isso, mas é que e quero passar toda essa animação que rolou no evento. E quanto aos meus amigos vascaínos, me perdoem por ter dito que o Vasco era vice, mas é que não pensei em outro exemplo mais obvio, mas força que o Vasco vai melhorar, ou não. (“O que tem a ver falar de futebol, Bianca?” - Também não sei).


segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Espetáculo Bullying retrata o dia a dia do aluno em escolas da capital

Projeto é uma iniciativa da Cia Atores de Mar’ do Rio de Janeiro

Foto: Juciley Ferreira/aGazeta

O projeto Eu digo não ao Bullying traz à Macapá uma importante contribuição no sentido de cada vez mais retirar esse traço cultural sedimentado na sociedade, em um momento importante da vida de crianças e adolescentes, a formação escolar. 

A iniciativa da Cia Atores de Mar’ do Rio de Janeiro, tratasse do espetáculo teatral Bullying que visa retratar o dia a dia do aluno em sala de aula, mostrando o problema e dando uma das possíveis soluções.

O projeto tem como público alvo alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental e do 1º ao 3º ano do Ensino Médio, além de professores e coordenadores da instituição, tal como os pais dessas crianças e adolescentes.

O espetáculo vem trabalhar a autoestima; conscientizar sobre a gravidade do Bullying; aprender a conviver com as diferenças e respeitá-las; aprimorar sua conduta, colocando-se no lugar do outro na situação de conflito; reconhecer valores individuais em terceiros, fortalecendo assim laços de amizades; valorizar cada segundo da vida, como se fosse o último.
A amapaense Adriana Raquel faz parte do projeto há 1 ano e meio, ela descobriu a companhia quando foi ao Rio de Janeiro fazer um curso. “Eu vi no site que eles necessitavam de uma atriz, me interessei no projeto e entrei em contato”, explica.

Foto: Divulgação

A atriz amapaense Adriana Raquel, ressalta que seu interesse pelo espetáculo foi colaborar com a prevenção e redução desse problema em sociedade. “Faço uma personagem que pratica o Bullying, através de situações em um ambiente escolar. No final de tudo, estimulamos a reflexão sobre o tema” diz a atriz. 

A Cia Atores de Mar’ decidiu vir a Macapá mesmo sem nenhum incentivo ou patrocínio, fazendo os próprios contatos com as escolas do estado para realizar o espetáculo. “O Mar’ Junior mesmo disse, vamos para Macapá, ele comprou as passagens e começou a fazer os contatos com as escolas aqui”, explica Adriana Raquel.
Em Macapá o projeto já passou pela escola Argos e ainda tem apresentações marcadas nas escolas Intergenius e Ucri. Além disso, a Cia realizará na capital o Workshop do Ator de 30 de setembro a 01 de outubro no Teatro das Bacabeiras das 18 horas às 22 horas. A agenda continua com apresentação do espetáculo no dia 2 de outubro, às 10h na Escola Intergênius, e dia 3 de outubro, as 10h e as 14h na Universidade da Criança (UCRI).
O espetáculo retrata histórias cotidianas de diversos personagens interpretados pelos atores Patrick Moraes, Junior Jeéfierri, Adriana Raquel e Renata Samek. São 4 cenas, intercaladas por dança e música e finalizadas por um debate com o roteirista e diretor Mar' Junior, autor do livro "BULLYING - EU sofri. EU pratiquei. EU hoje conscientizo."
Foto: Divulgação
BULLYING
Duração: 55 minutos
Classificação etária: livre
Textos: Mar´Junior 
Elenco: Patrick Moraes, Junior Beéfierri, Adriana Raquel e Renata Samek
Direção: Patrick Moraes e Mar´Junior
Preparação de atores: Mar´Junior
Coreografia: Priscilla Moraes
Produção musical: Samuel de Souza
Letras e músicas: Mar´Junior, Patrick Moraes, Junior Beéfierri e Samuel de Souza
Produção: Cia Atores de Mar'

Gabriel Dias/Jornal aGazeta

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Rock In Rio e o egoísmo dos fãs

Colaboração de @Rafampaz
O texto a seguir reflete a opinião do autor:


O Festival Rock In Rio estava na sua semana mais rock, agitada e que agrada uma grande parcela dos roqueiros. O festival todo ano surge com várias surpresas e diversas atrações. E entre essas variedades e artistas não tão massificados, surgem muitos questionamentos em torno do que o outro está gostando ou não.

Bom, o Rock In Rio é uma marca grande, bem sucedida, e a cada ano agrega telespectadores diversificados, sem falar do alto investimento em publicidade e TV e o público que ele alcança.
E nesses dias percebe-se muita revolta por parte de uma pequena parte do pessoal do rock. Muitos se intrigam do porque que surgem fãs de determinada banda ou artista, no que deixa transparecer o egoísmo e até mesmo a contradição do próprio admirador.


Primeiro que o ROCK IN RIO é um evento que tem uma grande força e certa bagagem em sua história, para muitos que trabalham com a arte, tocar nele é o resultado de trabalho e a realização de um sonho para os envolvidos. Perguntar porque que surgiu muitos fãs do (Metallica, Justin Timberlake, Slayer) é algo muito vago e desnecessário. O festival está ai, ele dita o gosto popular, ninguém nasce conhecendo todos os artistas possíveis deste planeta.

É incrível a ignorância e a falta de discernimento do brasileiro em compreender que o rock deve estar nas massas, é um estilo como qualquer outro, que trabalha com várias vertentes, ideologias, letras e etc...
Os mais radicais sempre fazem um alvoroço porque uma banda agora está mais em evidência e muitos deixam de ouvi-las pelos novos fãs que ganharam. ISTO SIMPLESMENTE SIGNIFICA QUE FÃ DE VERDADE ESTE SER HUMANO NUNCA FOI.


Sem deixar de falar dos julgamento após o Rock In Rio, de que o rapaz que está com a camisa do Slipknot é poser, sendo que não cabe a ninguém julgar se fulano é poser só por estar com a camiseta de uma banda que ele passou a gostar depois do RIR, E SAIBAM que há uma diferença gritante entre 'GOSTAR' E SER 'FÃ'.

SE O NOVO FÃ PASSOU A GOSTAR DO ARTISTA, ELE QUE PROCURE CONHECER MAIS SOBRE, SIMPLES ASSIM. (VOLTO A DIZER QUE POSERS SEMPRE EXISTIRÃO).
É contraditório, hipócrita, pois é 'fã' da banda, supostamente quer o bem dela, mas quando os caras ganham admiradores acham ruim e questionam. A sociedade precisa ter menos egoísmo, o Rock In Rio é um festival para a massa, se o seu grupo preferido (ISTO VALE PARA TODAS BANDAS, INCLUSIVE INDEPENDENTES) estiver conquistando pessoas e ganhando corações, melhor.

Talvez alguns de vocês não entendem o real significado de reconhecimento, pois vejo tantos comentários que me faz perder a crença nesta geração que faço parte.

 Só quero que entendam que é natural que um ARTISTA/BANDA ganhe fãs após um evento tão grande e importante como o Rock In Rio, não sejam imbecis.

Por: @Rafampaz

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Batalha de bandas do Festival Quebramar


Todos os anos, o Quebramar abre vagas para inscrições de bandas locais e são selecionadas para tocar por uma vaga no festival. Esse ano não poderia ser diferente.
Foram selecionadas as bandas para as seletivas da 6ª edição do festival. As escolhidas foram:

+ MorrigaM
+ Resistêia Pública
+ João Acarim
+ O Sósia

As bandas concorrerão a uma vaga na programação oficial do Festival, onde 3 jurados mais o voto do público decidirá o resultado. O evento acontecerá sábado, dia 28, no Skate Park do St. Inês a partir das 17 horas. 

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Festival Quebramar 2013



Considerado um dos maiores festivais de artes integradas da Amazônia, o Festival Quebramar inseriu o Amapá no mapa da cena musical independente do Brasil. Em 2013 o Festival Quebramar completa seis anos e desde o seu surgimento já envolveu cerca de 600 músicos, em 150 shows e recebeu mais de 30 atividades de formação, dentre painéis e oficinas.



Tendo como pano de fundo o maior rio do mundo e uma das sete maravilhas do Brasil, o festival agrega valores culturais, sociais e, principalmente, a sensibilidade de quem espera o ano inteiro para se integrar às atividades e ficar por dentro do que rola no resto do Brasil.

Este ano, o Festival Quebramar acontece de 28 de outubro a 03 de novembro no Anfiteatro da Fortaleza de São José e Centro de Difusão Cultural Azevedo Picanço. 

Então se agende e participe!

O Festival Quebramar é apresentado pela Petrobras, após ser contemplado pelo Programa Petrobras Cultural. Integra a Rede Brasil de Festivais Independentes e realização Casa Fora do Eixo Amapá, Casa Fora do Eixo Amazônia, Fora do Eixo, Ministério da Cultura e Governo Federal.

III Edição do Se7e Independente abre espaço para novos artistas


Nesta sábado, dia 7 de setembro, às 16h, na Praça da Bandeira acontecerá a III Edição do Se7e Independente. Este ano, o evento contará com o apoio de mais de seis grupos culturais independentes, uma forma de divulgar o trabalho de quem vive da arte. 

O “Se7e Independente” surgiu com a proposta de uma feira multicultural com diversas atrações como exposições artísticas, exposições fotográficas, bandas de rock, vendas de artesanato, cinema, quadrinhos, poesia e teatro, e outros. A intenção é reunir várias vertentes culturais em um mesmo espaço para apreciação do público.

“Uma feira feita por todos, para todos. O Liberdade ao Rock da apenas o pontapé inicial, qualquer artista que se sentir a vontade de comercializar ou expor trabalho, é bem vindo”, explica um dos organizadores do evento, Gabriel Dias. 

Bandas de Rock :

Profétika, Suicídio, Sistema Urbano 18, Arma de Fogo e Bad Delusion 

Grupos culturais parceiros:

Liberdade ao Rock, Catita Club, AP Quadrinhos, FIM, Amapanime, Pena & Pergaminho, Grupo Zimba, Desclassificáveis e Foto Clube Escrita Com Luz

Ascom/Liberdade ao Rock

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Preconceito: A Criminalização da cultura rock


Nunca consigo entender porque é tão difícil para o ser humano aceitar outro ser diferente dele! Imagine como o mundo seria chato se todas as pessoas tivessem o mesmo gosto, a mesma opinião, se vestissem da mesma forma, e ouvissem o mesmo som, nossa seria horrível. As diferenças estão aí, e temos que aprender a respeita-las, infelizmente em algumas pessoas o respeito não foi apresentado.

Foi isso que aconteceu ontem, 04 de setembro, na audiência publica (Audiência essa que visava uma construção de políticas públicas para a juventude audiência publica para construção de políticas publicas para a juventude. audiência publica para construção de políticas publicas para a juventude.) e que ocorreu na Câmera de vereadores de Macapá. A conselheira tutelar, na qual prefiro não falar o nome, disse o seguinte: “Nada contra o movimento Liberdade ao Rock, o que tem acontecido em público, na Praça da Bandeira, onde já comparecemos e fotografamos, a qual nós protocolamos para a Vara da Infância da Criança e Juventude. Os ambulantes vedem bebidas alcoólicas para menores, também há consumo de drogas no local. Isso pode ser considerado um movimento cultural? Não há nada de cultural nisso!”.

E aí será que podemos considerar isso como um preconceito? E por que ela falou que não há nada de cultural? Será que o rock não pode ser considerado uma cultura? Vamos aprofundar, saber o que é cultura.
Do ponto de vista antropológico, o termo “cultura” refere-se a tudo o que o ser humano faz, pensa, imagina, inventa, porque ele é um ser cultural. Não sendo capaz de viver somente guiado por seus instintos, ele é levado a construir ferramentas que possam ajuda-lo a instalar-se no mundo, a sobreviver, a desenvolver a sua humanidade. A essas “ferramentas” dá-se o nome de cultura. Entenderam? Vamos simplificar... São práticas e ações sociais que seguem um padrão determinado no espaço/tempo. Refere-se a crenças, comportamentos, valores, instituições, regras morais que permeiam e "preenchem" a sociedade. Explica e dá sentido a cosmologia social, é a identidade própria de um grupo humano em um território e num determinado período.

E agora será que não pode ser considerado cultura? E por que ela disse que não? Por causa do Rock? Que preconceito mais absurdo. Outra coisa que fiquei chocada em ouvir foi quando ela disse em relação as drogas, a bebida, quer dizer que só aqueles que ouvem o rock são os que bebem, se drogam e as outras pessoas não? Por acaso quem ouve sertanejo, por exemplo, nunca bebeu? É uma pessoa pura? Pelo que eu sei, nos eventos que tocam outros tipos de música os adolescentes bebem adoidados e muitos se drogam. O que quero dizer com isso? Que não é o gênero musical que vai definir se uma pessoa vai se drogar ou não, e muito menos o Movimento Liberdade ao Rock vai influenciar algum jovem, até porquê eles nunca fizeram apologia a drogas, ao contrário. Nós temos que aprender a respeitar as pessoas, e aceita-las, o  respeito acima de tudo e infelizmente não foi o que aconteceu ontem.


NOTA DE REPÚDIO

O Movimento de Iniciativa Cultural Liberdade ao Rock, nesta tarde de quarta-feira (04/09), em Audiência para Políticas Públicas para a Juventude, realizada na Câmara Municipal de Macapá, foi ironicamente acusado de estimular o uso de drogas ilícitas e bebidas alcoólicas pelos jovens durante os seus eventos. O Movimento Liberdade ao Rock oficialmente não estava presente por motivos de não ter conhecimento da realização da audiência pública com tal tema a ser discutido, mas a repercussão das levianas afirmações feitas pela conselheira tutelar, REGIANE GURGEL/ PRESIDENTE CTM-ZS, correu os corredores daquela casa e logo chegou às mídias digitais, onde o público presente indignado com tais palavras nos solicitou uma atitude. Em poucas horas, a mobilização da Coordenação do Liberdade ao Rock chegou na casa pública municipal e solicitou o direito de resposta, direito este concedido.

Na Plenária o representante do Movimento de Iniciativa Cultural, Arley Amanajas, membro da equipe, militante político e cultural, formado em Direito, Funcionário Público, casado e pai de dois filhos, levou as principais argumentações para a audiência, virando um debate com a tréplica da conselheira. Art. 15. "A criança e o adolescente têm direito à liberdade, ao respeito e à dignidade como pessoas humanas em processo de desenvolvimento e como sujeitos de direitos civis, humanos e sociais garantidos na Constituição e nas leis." O Liberdade ao Rock vem fazendo campanhas efetivas contra a utilização das “drogas ilegais e legais” pelo seu público, que em maioria, é menor idade. Além de implantar novo horário, com seus eventos iniciando mais cedo, assim também terminando cedo, possibilitando o público menor não violar o limite de horário estabelecido pelo Estatuto da Juventude para sua permanência em eventos noturnos. Para garantir o parágrafo IV - "brincar, praticar esportes e divertir-se", a equipe de coordenação preocupa-se em executar seus eventos com todas as autorizações necessárias, nesse ponto, vale ressaltar que a fiscalização do poder público deve ser solicitada oficialmente para garantir a ordem em uma produção cultural em ambientes públicos, que por direito é de todos! E assim garantir: Art. 18." É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor".

Vale lembrar que as audiências públicas servem para cobrar a presença do Estado que é ausente, e neste caso as instituições públicas cobram taxas, ofícios, e os produtores culturais têm que ser os fiscais dos vendedores autônomos, seguranças do espaço público, técnicos de eletricidade para iluminar as praças, e salva vidas das políticas públicas. 

A cultura só é possível através de contatos do individuo com relações sociais, religiosas, familiares e políticas, logo, essa matriz complexa de Homem e Ser carece de comprometimento profissional daqueles que lutam por uma causa. 

Deixamos um convite a todos os que discriminam o Movimento de Rock Tucuju, que nasceu na Universidade Federal do Amapá, há mais de 5 anos, a visitar e fazer parte da construção cultural independente desde Estado.

Coordenação Geral do Movimento de Iniciativa Cultura Liberdade ao Rock


sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Encerramento da 1° Semana da Juventude: Nervosa


E aí povo bonito, educado e com bom gosto musical, tudo bem com vocês? Hoje vou resenhar (não, não estou me referindo à resenha de festa, ou “churras” viu?) , vou falar sobre o encerramento da semana da Juventude, que aconteceu no último sábado, dia 17 de agosto. E esse foi um grande show com bandas de destaque na cena Amapaense e uma atração nacional.


Essa foi a noite das mulheres, das divas amapaenses e da Banda Nervosa, que é um trio de Thrash feminino.  Como Carol Pessoa, vocalista da banda Dama de Preto disse: “As mulheres estão chegando devagarinho e conquistando seu espaço, e dominando a cena  que antes era só de homem”. E isso é ótimo, é magnifico ver mulheres lindas e super talentosas no palco, mulheres essas que não ficam abaixo de nenhuma banda masculina no quesito qualidade. Parabéns a Banda Dama de Preto e a MorrigaM (Que são bandas que tem mulheres no vocal), com essas bandas a plateia foi ao delírio, varias vezes ouvíamos o publico gritar: “Gostosas, Gostosas”.


Mas não posso deixar de parabenizar as outras bandas que tocaram: Profetika, Nova Ordem, Keona Spirit, Carnnyvalle, Bad Delusion, Sloth. Com todas essas bandas talentosas, não tinha como um evento ser ruim, apesar do som não estar dos melhores, nenhuma banda deixou a desejar, sem contar o publico que estava “super hiper mega ultra power” animado, bateram muita cabeça. E isso foi só uma prévia do que estava por vir.


Finalmente chegava a hora que todos estavam esperando, a hora em que a Banda Nervosa entrava no palco (com Fernanda Lira no vocal e no baixo, Prika Amaral na guitarra e backing vocal e Pitchu Ferraz na bateria)  para fechar com chave de ouro, ou melhor chave de metal, a 1° Semana da Juventude. Apesar de alguns probleminhas técnicos que teve, a banda foi demais da conta sô. Pitchu literalmente quebrou tudo, inclusive a bateria rs, mas esse foi o diferencial da banda, mesmo com esses problemas, elas animaram bastante a galera, não ficaram em nenhum momento nervosas (que trocadilho mais tosco), e depois que tudo se resolveu Fernanda Lira tomou conta da parada e mostrou porque Nervosa é a revelação do Thrash Metal brasileiro.





Para você que perdeu só tenho a lamentar, mas se liga no link https://www.facebook.com/bianca.oliveira.1232/media_set?set=a.378876435568849.1073741837.100003394861783&type=1 e vê as fotos da Semana da Juventude.


terça-feira, 13 de agosto de 2013

Resenha: 2° Guerra de Balões


Neste ultimo sábado, dia 10, o Espaço Caos (Que reúne os movimentos Liberdade ao Rock, Festival Imagem em Movimento (FIM), Clube de Cinema, Coletivo AP Quadrinhos e Fotógrafos Anônimos) realizou a “2° Guerra de Balões”, que aconteceu na Praça da Bandeira. Este foi um evento de todos e para todos, todas as idades, tamanhos e sexos. 


A ideia da Guerra de Balões é de unir brincadeira e arte, e ainda ameniza o calor do povo que brincou, e que calor hein? Como Macapaense sofre com esse calor, que neste sábado atingiu a temperatura máxima de 34º C, ou seja, todas as 500 pessoas que compareceram estavam “fritando”, e essa brincadeira divertida as ajudou a “refrescar”. Até quem não é fã de tomar banho, se molhou lá, ah mas é claro, era sábado também, isso ajudou.


Bom e para animar ainda mais a galera, tocaram no evento as bandas: Trapos e Cometas, MorrigaM, Telón Band’s e Nova Ordem e o DJ Ton Ander nos intervalos. Estão todos de parabéns, pois essa “Guerra” sem a música de vocês não seria nada, o som fez com que a galera entrasse no espírito da coisa, na hora da Roda Punk então estavam todos bem animados. 




 A Guerra De Balões marcou a abertura da Semana Estadual da Juventude, promovida pelo Governo do Estado, fiquem ligados que durante a semana falarei de alguns desses eventos. Não falarei de todos, pois são muitos, mas pelo menos tentarei. Parabéns a todos os organizadores é sempre bom ver os jovens se divertindo com responsabilidade, sem brigas, álcool ou drogas. É isso que queremos, nos divertir sem violência. 




sábado, 27 de julho de 2013

Dica de Filme: Scott Pilgrim vs. the World


Scott Pilgrim vs. the World (br: Scott Pilgrim Contra o Mundo) é um filme americano lançado em 2010 baseado na história em quadrinhosScott Pilgrim, criada por Bryan Lee O'Malley. O filme é dirigido por Edgar Wright estrelando Michael Cera e Mary Elizabeth Winstead.
A história se passa em Toronto onde Scott Pilgrim, Roqueiro da banda "Sex Bob-omb", começa a namorar a colegial Knives Chau apesar dos protestos de seus amigos e colegas de banda. Mais tarde ele encontra uma misteriosa garota americana, Ramona Flowers, se apaixonando por ela e perdendo o interesse em Knives. Enquanto tocava na batalha de bandas por um contrato com G-Man Graves, Scott é atacado por Matthew Patel, que se apresenta como o primeiro ex-malvado do mal de Ramona. Scott derrota Matthew e descobre que para namorar Ramona ele precisa derrotar todos os seus sete ex-malvados do mal, que se juntaram para destruir Scott e para controlar a vida amorosa de Ramona.


Depois de descobrir que o ator e skatista Lucas Lee, o segundo ex-malvado do mal, está vindo para Toronto para gravar um filme, Scott é obrigado a terminar com Knives, que fica devastada e se torna obcecada em consegui-lo devolta. Scott encontra Lucas e enfrenta ele e seus dubles, e o desafia a fazer um grind no skate, fazendo sofrer um acidente, sendo derrotado. Ele mais tarde encontra o terceiro ex-malvado do mal, Todd Ingram, que está namorando a ex-namorada de Scott, Envy Adams, Todd mostra ter poderes psiquicos conseguidos através da dietavegana, porém seus poderes são retirados pela polícia vegan depois que Scott o engana com um café com leite de soja por outro com café e leite que ele bebe, permitindo ser enfraquecido com o raio desveganizador pela Polícia Veganana, sendo derrotado por Scott com facilidade.


Scott começa a ficar aborrecido com o histórico de namorados de Ramona após derrotar a quarta ex e lesbbica do mal, Roxy Richter, mas foi derrotada quando Scott encostou o dedo atrás do seu joelho. Durante o segundo round da batalha de bandas, Sex Bob-omb enfrenta o quinto e o sexto ex-malvados do mal, os irmãos gêmeos Ken e Kyle Katayanagi, e Scott ganha uma vida extra após derrotar os irmãos. Durante a batalha Scott vê Ramona junto com o sétimo e último ex-malvado do mal, Gideon Graves, que acaba se torna o patrocinador da Sex Bob-omb, fazendo Scott sair da banda enquanto assinam o contrato. Impedida de se afastar de Gideon devido a um microchip, Ramona termina com Scott.


Scott desafia Gideon para uma batalha no recém aberto Chaos Theater, onde Scott declama seu amor por Ramona, ganhando o "Poder do Amor", uma espada em chamas, que ele usa para lutar com Gideon, porém Gideon o acertou no ar, e Scott perdeu sua espada e foi derrotado.Knives aparece para lutar com Ramona pelo amor de Scott que, tentando apartar a briga das duas admite que ele a traiu e depois é morto por Gideon antes de se desculpar.


No Limbo, Scott resolve seus problemas com Ramona, que revela que quando ela e Gideon eram juntos, ele colocou na parte de trás de seu pescoço um microchip. Scott percebe que ainda tinha sua vida extra, que a usa para reiniciar a batalha com Gideon, dessa vez resolvendo seus problemas com Ramona, Knives e seus amigos,ganhando assim pontos bonus e o "Respeito a si Próprio", recebendo uma outra espada em chamas de cor roxa, o ataque no ar é repetido, e Scott acerta Gideon. Com Gideon inconsciente, Scott impede o ataque de Knives em Ramona, e se desculpa com as meninas. Gideon acorda para lutar com Scott de novo, e derruba Ramona, mas é derrotado quando Knives e Scott se unem para destruí-lo. Livre do controle de Gideon, Ramona se prepara para ir embora do país. Knives aceita que seu relacionamento com Scott já acabou, e o encoraja a ir atrás de Ramona. Scott vai atrás de Ramona, e os dois voltam a namorar.

Veja o Trailer:


terça-feira, 16 de julho de 2013

Malte Rock N’ Roll


Água, malte de cevada, lúpulo, levedura, agentes clarificantes e uma super dose de Rock. Essa é a fórmula das bebidas que foram inspiradas em grandes bandas do cenário Rock. 


Cheias da identidade de cada banda, elas trazem rótulos e sabores personalizados. Então, aumente logo o som, faça um brinde e delicie-se! 

Pra começar, vamos de Raimundos! Com a Raimundos Helles, fabricada pela cervejaria Bamberg. Ela tem 3 tipos de malte, com sabor contendo notas generosas de malte e lúpulo. A garrafa é de 600 ml, e o teor alcoólico é de 5%. 



Agora, Velhas Virgens. Eles já tiveram duas brejas lançadas. A primeira foi criação do próprio baixista, Tuca Paiva, uma Índia Pale Ale, com teor alcoólico de 6,5%. A Segunda é a White Rockin’Beer, um pouco mais leve, com teor de 5,2%, estilo libertário como o da banda. E alguns fãs que já a apreciaram, dizem que ela pode ser definida como DESTRUIDORA! 




A cerveja da banda Sepultura Weiss, pela cervejaria Bamberg – Brasil, feita pelos 25 anos da banda, possui 4,4% de álcool, com aroma de cravo e maçã. É refrescante e com turbidez natural provocada pela levedura em suspensão, características deste estilo de cerveja. 




A banda KISS já havia lançado um vinho, e então resolveu investir em uma linha de cerveja, a Germam Pilsener Destroyer Beer. Com versões Long Neck e lata, e seu rótulo É cheio de atitude, assim como a banda e leva a sua inconfundível logo. 



Nenhum de Nós, com a música que virou hit nos anos 80, Camila, Camila foi engarrafada e virou a Bohemia Pilsen Camila, Camila (Bamberg). Tem 5% de teor alcoólico. 

AC/DC. Back In Black, umas das suas músicas (se não a mais) mais famosas, ganhou versão engarrafada, e é uma Índia Pale Ale. E também lançaram a AC/DC Germam Beer Australian Hardrock, de pureza alemã. 




UP THE IRONS! A The Trooper Ale, teve o vacalista da banda, Bruce, que é um entusiasma da REAL ALE, como parceiro na criação da bebida que preparada artesanalmente pela cervejaria Robinsons. A The Trooper é coisa forte. Tem mistura dos lúpulos Bobec, Goldings e Cascade, com coloração dourada intensa.  




Anteriormente a música The Number od The Beast já havia sido engarrafada pela cervejaria Escocesa Haviestown, com exatamente 6,66% de teor alcoólico.  




E para comemorar o 20º aniversário do álbum TEM, do Pearl Jam, foi lançada a cerveja Pearl Jam Twenty, pela cervejaria Dogfish em 2011. Seu teor alcoólico é 7%. 


E agora, Matanza! A Matanza IPA tem alta fermentação e 6,5% de teor alcoólico. A banda a define como “pé na porta e soco na cara”. 





Os solos de guitarra de Jimi Hendrix ficam ainda melhore acompanhados pela Purple Haze, homônima de uma de suas melhores músicas. É uma cerveja de trigo de estilo americano com purê de framboesa adicionada após a filtração. 

Depois de lançar uma marca de vinho (Motörhead Shiraz), a banda Motörhead decidiu se aventurar na loira gelada e criou um rótulo intitulado Lager Bastards. A cerveja é fabricada pela empresa sueca Krönleins.

Segundo o baterista Mikkey Dee,”Você nunca é velho demais para o rock’n'roll e para uma cerveja bem gelada. Isso tudo funciona muito bem em conjunto”.





E por fim, a Blitzkrieg Bop, em tributo ao Ramones, que é uma America Punk IPA.



Cedido por Bia Azevedo ao Blog Tribos AP